Semana do Cachorro Quente FINAL – Sousa: Como as mudanças afetam preferências.

Falar do Sousa é complicadíssimo. Já fui fiel freqüentador da lanchonete em minha época de faculdade, passava por lá toda sexta feira. Considerava-me até amigo do próprio Sousa, que sem sombras de dúvidas acho até hoje uma ótima pessoa. Quase um personagem folclórico ludovicense. Certas mudanças no decorrer dos anos acabaram por me afastar deste tão aclamado cachorro quente. Saiba o que aconteceu no texto a seguir.

O Sousa é figura sempre presente no Reviver. É o único lanche de rua que presta por aquelas bandas. Se você quer comer algum sanduíche depois de alguma sexta feira adolescente, vai comer no Sousa. A ambientação do local, mesmo sua “nova” filial no Turu, é bem simples: São mesas e cadeiras de plástico no Centro, e conjuntos de metal/plástico na outra loja. Pelo Sousa ser bem conhecido e sempre lotado, nota-se o desgaste natural dos assentos. Normal.

A limpeza do local, ou a falta dela, também é característica. No Reviver há além do vento e dos animais que rondam a região, centenas de pedintes, bêbados, drogados, flanelinhas e toda esta agradável gama de pessoas que o Centro Histórico proporciona. Não é culpa da lanchonete, longe disso. É uma questão cultural da nossa capital: Adolescentes idiotas/hippies vão freqüentar o Reviver, ponto final. Mas é impossível não afirmar que este seja um fator que afaste clientes do Sousa. Durante minha época de freguês modelo sempre sonhava com o dia que esta iguaria fosse estar localizada longe dalí.

2012-08-04_18-09-44_835

O Turu, por outro lado, já não possui estes problemas. Gatos ainda rondam as mesas pedindo restos de comida, mas aí já é um problema de qualquer lanchonete que fique “na rua”. As mesas também são visivelmente mais limpas e a casa possui bem mais estrutura, como um banheiro, por exemplo.

cachorro-quente-sousa-local

O atendimento também é um setor deveras deficiente. Como já dito, e como é de conhecimento geral, é um local bem conturbado. Em todos estes anos nunca vi o Sousa realmente vazio, mesmo passando por lá às 3 da manhã, por exemplo. É inevitável esperar, e esperar muito. No dia desta visita juro que fiquei quase uma hora aguardando 4 lanches.

É de se entender que com um volume absurdo de pessoas a comida demore a sair, mas também já era de se esperar que uma lanchonete que funcione há duzentos anos já tivesse uma rotina de trabalho mais eficiente para lidar com toda essa gente.

Sobre a comida… Guardem suas pedras, por favor.

O Cachorro Quente do Sousa é único. Cheio de personalidade e sabor. Não há quem não conheça e difícil quem não goste. As batatas fritas em rodela, dispostas nas laterais do pão, são um detalhe ímpar, jamais encontrado em outro sanduíche da capital. Interessante.

cachorro-quente-detalhe-batata

Sabem por que não sou mais assíduo no Sousa, mesmo com uma filial a 200 metros da minha casa? Não, não é pela mudança de preço: Em 2005 comia lá por R$2.50, ao contrário dos  R$6.00 gastos atualmente.

Uma palavra: maionese.

Quando comecei a freqüentar este circuito de Junk Food, havia duas maioneses que chamavam bastante atenção: Sousa e Flerte. Todo mundo comentava de uma ou de outra, quase que como duas facções rivais.

Durante a crise de maionese, que aconteceu mais ou menos uns 3 anos atrás, quando supostamente a vigilância sanitária iria tirar de circulação este tão adorado molho, vários estabelecimentos mudaram sua receita, passaram a oferecer maionese em saquinhos, ou uniram-se ao lado negro da força com sachês industrializados. Foi uma época terrível para se fazer gordice.

O Sousa foi um destes que trocou sua receita. Hoje em dia eles usam ovos pasteurizados, como medida para evitar salmonela, e traíram o movimento com copinhos de maionese.

cachorro-quente-sousa

Amigos, não sei quem anda espalhando por aí que copos e colherzinhas são bons para o lanche: Até os saquinhos caseiros, que facilmente se transformam em bisnagas improvisadas fazem mais efeitos que estes temíveis receptáculos plásticos. Infelizmente até o Bulldog caiu nessa.

Aprendam com o Baita Burguer. Querem ser diferentes? Chiques? Usem Zip locks.

Enfim, trocar a receita, e substituir o modo de dispersão do molho tirou metade da graça do Sousa, EM MINHA OPINIÃO.

Até a consistência mudou. Gostava da antiga maionese por ser mais aguada, misturando-se a carne e fazendo uma lambança linda, como comer Cachorro Quente deve ser. Hoje em dia ela é mais pastosa. Não é ruim mesmo, mas ainda falta alguma coisa.

Com mais variedade de lanche e transporte, não vejo mais o Sousa como uma das primeiras opções na hora de comer um Cachorro Quente. Entendo quem goste, afinal, vai que você até preferiu a nova maionese, mas para um fã de raiz, como eu era, aquele sabor de outrora, de uns 10 anos atrás, quando a barraquinha ainda era em frente ao Alcione Nazaré, não volta mais.

Se por um pecado você nunca foi ao Sousa, recomendo fortemente que vá HOJE MESMO. Este homem é um marco cultural para nossa cidade. Sua contribuição no cenário das lanchonetes de rua é inegável. Daqui a 50 anos ainda vou me lembrar do Sousa com saudosismo, certeza.

Badge: Demora Muuuuuuuuito. Prepare-se para esperar. Muito.

demoraMUUUITO

 

O estabelecimento não possui site oficial, não tem redes sociais, aceita cartões de débito na filial do Turu e não faz entregas, mas no seu aniversário você come de Graça.

Cachorro Quente do Sousa:

  • Praia Grande, proximo ao Viva Cidadão. Localização Via Google Maps
  • Rua General Artur Carvalho, nº 45, Turu. Localização Via Kekanto

About Lanche Barato

Jornalista, Blogger, Podcaster, Gamer.
This entry was posted in Lanchonete and tagged , , , , , , . Bookmark the permalink.

9 comments on “Semana do Cachorro Quente FINAL – Sousa: Como as mudanças afetam preferências.

  1. Eduardo Dot on said:

    Cachorro quente de graça no dia do aniversário: MAIOR VERDADE DO MUNDO! kkk

    Eu AINDA amo o sousa, principalmente quando to com pouca grana e quero sair ESTUFADO de tanto comer. Moro pertinho da filial do Turu e não é raro sair a noite só pra comer lá e voltar pra casa.
    E, olha. Eu gosto mais dessa nova maionese. Mas eu sou um traidor do movimento. hahaha

  2. saudade de quando o sousa era o melhor cachorro quente da cidade! quero a maionese de volta!

  3. Vinícius on said:

    Porra, ainda bem que abriram essa no Turu, eu não conseguia comer bem lá no reviver, costumava levar para casa quando saia da faculdade. Fizeram essa merda com a maionese, essa traição foi foda. Agora já era pro Sousa ter investido melhor em suas lanchonetes, a demora é insuportável e o ambiente é sombrio e com muita falta de higiene! Não é possível esperar um cachorro quente por mais de 10 minutos, pior ainda é faltar ingrediente como ocorre corriqueiramente, amadorismo puro. Está ficando pra trás aos poucos não pelo sanduíche, que é único, mas pela falta de investimento na estrutura e higiene.

  4. Comparado ao flertee e outras lanchonetes , o SOUZA e lider na qualidade e preço baixo , ¨6 reias somente e nem see comparara com os hotdogs de outras lanchonetes, sem falar q hj nao se encontra mais lanche de 4 reais 3 reias, sou vendedor , e conheço o produto q ele o “souza usa , a salsicha e so Sadia – sadilar, rezende , wilson, o pao e das melhores padarias a Pao e leite locaalizada no renascença e a Pao nosso. ( posso garantir a voces q ele nao usa ovos pasteurizados) dizer q nao frequenta mais o Souza , por causa da maionese e muita asneira ,me perdoe mais e verdade , vc deve ter outro motivo para nao frequeentar, no caso daa duvida do ovo pasteurizado e so pergutar pr propio Souza .

    • Fernando Portelada on said:

      Oi, Mario, tudo bom?

      Primeiramente queria te agradecer por passar a madrugada inteira visitando meu blog (visto o horário de seus 5 comentários), e fico muito triste por você não ter gostado da maioria dos posts. É uma pena.

      Ainda que um pouco consternado pela forma como expressaste suas ideias, basicamente dizendo que se não trabalho no ramo alimentício, eu não posso falar sobre ele. Citando um de seus comentários: “o q mais me deixa triste sao as pessoaas q estao por tras , acharem q tudo e facil”.

      Ora, Mario, na vida tudo não é assim? Você acha mesmo que todo crítico de cinema é também diretor/cineasta? Que todos que analisam um livro tem por obrigação de escrever um também?

      Discordo. Minhas análises fazem efeito principalmente por serem leigas. Minha audiência é formada por pessoas como eu: simples consumidores. Se não gostei do estabelecimento, se achei o terreno do Mister Burguer desperdiçado ou mesmo que a maionese em bisnaga era melhor, sinto-me na obrigação de assim dizer. Novamente cito-o:”gosto e q nem c* cada um teem o seu”.

      Se o senhor gosta tanto assim do Sousa, mesmo que não consiga diferenciar o S do Z no nome da lanchonete, recomendo que continue frequentando-a como já faz. Ninguém é obrigado a seguir minhas recomendações, ou parar de comer onde gosta só porque tenho uma preferência contrária. Admiro verdadeiramente o Sousa como pessoa, mas infelizmente não sou mais assíduo em sua loja, visto meu texto, onde explicitei todas as razões por trás deste fato. Não gostou do Lálio?

      Não gostou de Y, X ou Z? Paciência. Eu gosto, e o contrário também é valido.

      Como também mencionaste durante sua saraivada de textos, és sim dono de algum estabelecimento, não? Espero que mantenha a cabeça um pouco mais aberta em sua empresa, aceitando críticas e aprendendo a melhorar com estas. Simplesmente colocar dificuldade para qualquer realização é um pensamento simplório e de pessoas sem ganância, sem vontade de serem melhores. Em São Luís grande parte das lanchonetes age desta forma. Mediocrizando seus produtos e vivendo permanentemente aquém de seu potencial.

      Se um local possui um gigantesco terreno e nada dele faz acho isto um desperdício de espaço e dinheiro. As pessoas costumam enxergar seus custos como GASTOS, e não como INVESTIMENTO.

      Mas não vou estender esta discussão desnecessária.

      Caso tenha alguma dúvida sobre meu posicionamento, ou mesmo rebater as críticas que provavelmente fiz ao seu estabelecimento, mande um e-mail: contato@lanchebarato.com.br. Acredito que será uma experiência bem mais proveitosa do que debater em comentários, não?

      Aguardo sua resposta.

      • Claro voce e um cliente , e tem todo seu direito de ter seu posicionamento em tudo ,entretanto nem sempre voce ira ter razao em suas criticas concorda cmg ? dizer q lanchonete tal presta e a outra nao , e a sua opniao ,voce esta correto. Mais sera q entre tantas asneiras q voce escreve voce tem total certeza? amigo voce mentiu ao dizer q o souza usa maionese pasteurizada, voce Mentiu ! – ( Ninguém é obrigado a seguir minhas recomendações ) mas nem por isso voce podera escreveer oq qer , gostei muito do seu blog heuheuueeuehuhu cara talves falte um pouco de noçao ,foi so isso . Badge: muita asneira no seu blog / nao conseegui mais ver meu post em outras paginas do bolg voce apagou ??

        • Fernando Portelada on said:

          Que contradição, Mário…

          Vamos lá, DE NOVO.

          Primeiro você afirma que é minha opinião e estou correto, depois você afirma que o eu estou errado e escrevendo asneiras? Até onde eu saiba opinião é opinião. Ela varia para cada pessoa e não existe uma correta. De acordo com o dicionário: “Manifestação das ideias individuais a respeito de algo ou alguém.” Entendeu? Individuais, meu caro. Você pode ADORAR lamber sabão, achar a melhor coisa do mundo…. Mas é só sua opinião, seu gosto individual.

          Isto é só um exemplo. Não venha gritar comigo em outros comentários, certo? Não estou insinuando que você de fato lambe sabão.

          Continuando.

          A questão dos ovos pasteurizados foi informada pelo próprio Sousa há alguns. Se ele não falou sério, ou se este processo já mudou eu não sei. A informação obtida foi esta e pronto. Qual seria o sentido de mentir para meus leitores? Você acha que eu ganho algo por divulgar as lanchonetes aqui? Sei que comprovadamente já garanti clientes para X ou Y, mas até hoje este site só me deu prejuízo.

          Se em algum momento algum funcionário do Sousa se identificar como tal e corrigir os eventuais erros do post eu farei a atualização com o maior prazer. Enquanto isso a questão dos ovos pasteurizados permanece lá.

          “mas nem por isso voce podera escreveer oq qer”

          CLARO que eu posso escrever o que quero! Onde está a liberdade de expressão, Mário? Até onde eu sabia este é um direito constitucional. O blog é meu, eu pago seu servidor, o domínio e tenho todo o direito de dizer o que acho necessário. Uns vão gostar e outros não. Pelo visto você está na segunda opção, mas mesmo assim muito obrigado pelas visitas.

          Seus comentários não foram apagados. Não tenho motivo para fazê-lo. Estão espalhados por alguns outros posts, se bem me lembro.

          Como já falei da última vez, Mário. O senhor tem toda a liberdade para falar comigo por e-mail, debater mais as questões que lhe afligem. Só peço que argumente com mais cuidado e sem acusações à verdade de minhas palavras.

  5. Ei voce tem certeza que o Souza usa ovos pasteurizados em sua maionnese?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

HTML tags are not allowed.